Reflexão arbitragens

UM TOQUE SOBRE AS ARBITRAGENS

Há muito tempo que aprendi que só teremos bom futebol se tivermos boas arbitragens. Com este pensamento, ao assumir a direção desta Entidade, procurei dar aos árbitros e mais presentemente, ao Sindicato de Árbitros do Meio Oeste Catarinense, que prestam serviços a Liga Esportiva Oeste Catarinense – LEOC, toda a estrutura para melhor realizar seu trabalho. Ao longo do tempo venho observando que nossa arbitragem tem procurado se atualizar, se renovar e evoluir. Reciclagens, palestras, seminários, encontros, cursos, reuniões e testes de avaliações físicas, tem sido feitas em todos os municípios de nosso Estado, e propiciando uma constante atualização da arbitragem regional e estadual.

Mais uma vez, atendendo as necessidades do futebol moderno, o IFAB – International Football Association Board – dono das regras de jogo e a FIFA – Fedération Internationale de Football Association – encarregada de preserva-las e divulgá-las, executaram algumas modificações que aparecerão neste novo Guia,

A exemplo do passado, somente a perfeita assimilação destas alterações é que proporcionará a todos, indistintamente, partícipes e amantes do futebol, condições de entendimento dos seus reais significados. Isto feito, tenho certeza de que este Guia contribuirá para que a eficácia e o sucesso das mudanças atinjam os seus objetivos.

Desta maneira, estaremos em compasso com todas as arbitragens do mundo, dando um grande suporte de base para a manutenção do futebol como o esporte mais praticado em nosso planeta.

Aos praticantes do futebol, em qualquer recanto – árbitros, assistentes, dirigentes, jogadores w treinadores, a quem este trabalho é dirigido – solicito que procurem cada vez mais entende-lo, aprende-lo, preserva-lo e difundi-lo para que o sucesso deste esporte seja cada vez maior. Afinal, todos nós somos pentacampeoões mundiais de futebol, inclusive os nossos árbitros.

Bel. Jair Júlio Dariva
Presidente

INSTRUÇÕES SOBRE AS REGRAS DE JOGO DE FUTEBOL

01 – JOGO BRUTO GRAVE OU CONDUTA VIOLENTA

O futebol é um jogo competitivo, em que a bola deve ser disputada de forma leal e nobre. Toda a ação em que a bola é disputada dessa maneira, ainda que às vezes com energia, deve contar com a permissão do árbitro. Entretanto, o jogo bruto grave e a conduta violenta são condenáveis, e o arbitro deverá puni-los aplicando com rigor as regras do jogo.
Explicitando:
a) Existe jogo bruto grave quando um jogador comete uma infração contra as Regras do Jogo, adotando deliberadamente um comportamento bruto no momento em que disputa a bola com um adversário.
b) Existe a conduta violenta quando um jogador agride um adversário sem que a bola esteja em disputa entre os dois. A bola pode estar em jogo ou fora de jogo. Se estiver em jogo, a punição será um tiro livre direto em favor da equipe do jogador agredido, lançado do ponto onde tiver ocorrido a agressão, ou com um tiro penal, se a conduta violenta tiver ocorrido dentro da área penal. Se a bola estiver fora de jogo, a partida recomeçará do ponto onde houver ocorrido a interrupção, antes da conduta violenta (arremesso lateral, tiro livre, etc.);
Ocorre, também conduta violenta, quando um jogador agride um de seus companheiros, o árbitro, o assistente, um expectador, etc. Como foi indicado acima, a agressão pode ocorrer quando a bola estiver em jogo ou fora de jogo. Se a bola estiver em jogo, a punição é um tiro livre direto contra a equipe do jogador agressor, no local onde tiver ocorrido a conduta violenta, ou com “bola ao chão” lançada do ponto em que a mesma se achava no momento da falta, se a agressão tiver ocorrido fora dos limites do campo de jogo. Se a bola estiver fora de jogo, a partida recomeçará no ponto em que ocorreu a interrupção antes da conduta violenta (arremesso lateral, tiro livre direto, etc.)

02 – CARRINHOS:

a) O carrinho com deslizamento, com um pé ou com os dois, é permitido se o árbitro não considera-lo perigoso. Todavia, se o jogador autor do carrinho não toca a bola, mas toca o adversário fazendo-o cair, o árbitro concederá um tiro livre direto à equipe adversária e advertirá o jogador faltoso (amarelo ou vemelho);
b) O carrinho por detrás fica terminantemente proibido, devendo ser punido com um tiro livre direto e com expulsão.

03 – INFRAÇÃO CONTRA O GOLEIRO:

Comete-se uma infração contra o goleiro quando um jogador:
a) Salta sobre o goleiro com o pretexto de cabecear a bola;
b) Move-se de um lado para outro diante do goleiro, para impedi-lo de pôr a bola em jogo;
c) Fica diante do goleiro durante a execução de um tiro de canto, e aproveita essa posição para obstruí-lo antes que se execute a cobrança e antes da bola entrar em jogo;
d) Tenta chutar a bola no momento em que o goleiro a solta para despacha-la.

04 – OBSTRUÇÃO:

Um jogador que controla a bola e se encontra a distância de jogo, isto é, a distância em que cobre a bola com a intenção evitar que esta seja jogada por um adversário, sem utilizar os braços, não incorre em obstrução. Todo jogador que obstrua intencionalmente seu adversário, cruzando diretamente diante dele, ou correndo entre ele e a bola, ou interpondo-se de modo a se constituir num obstáculo a fim de retardas seu avanço, será punido com um tiro livre indireto a favor da equipe contrária.
Entretanto, todo jogador que impede intencionalmente o avanço de um adversário, seja empregando a mão, o braço, a perna ou qualquer outra parte do corpo, deverá ser punido com um tiro livre direto em favor da equipe contrária, ou com um tiro penal, se a infração tiver ocorrido dentro da área penal.

05 – TESOURA OU BICICLETA:

Este tipo de jogada é permitido, sempre e quando, na opinião do árbitro, não seja perigoso para o adversário.

06 – SALTO CONTRA UM ADVERSÁRIO:

Um jogador que saltar contra um adversário com o pretexto de cabecear a bola, será punido com um tiro livre direto a favor da equipe contrária.

07 – PROIBIÇÃO DE USO DPO CORPO:

Um jogador que abordar o adversário, usando suas mãos, braços, pernas ou o corpo, incorre em infração à Regra XII e será punido com um tiro livre direto a favor da equipe contrária. Serão punidos também os casos em que o adversário é segurado ou molestado a fim de se evitar que ele corra para colocar-se em determinada posição quando a bola estiver fora de jogo (sanção disciplinar).

08 – ADVERTÊNCIA POR TOCAR A BOLA INTENCIONALMENTE COM A MÃO OU POR SEGURAR UM ADVERSÁRIO:

Ainda que não seja comum advertir um jogador por tocar a bola com a mão intencionalmente ou por segurar um adversário, existem circunstâncias excepcionais em que, além de aplicar a sanção correspondente, o árbitro deverá advertir o jogador que cometer alguma das seguintes faltas:
a) tentar impedir que o adversário se apodere da bola detendo-a com uma ou ambas as mãos, golpeando-a com o punho ou retendo-a consigo por não poder joga-la de outra forma;
b) segurar um adversário para impedir que ele se apodere da bola;
c) tentar marcar um gol recorrendo ao uso ilegal das mãos.

09 – TIROS LIVRES:

a) Ao conceder um tiro livre indireto, o árbitro deverá indicá-lo devidamente erguendo o braço e assim permanecendo até que o tiro tenha sido executado e a bola jogada ou tocada por outro jogador ou tirada de jogo.
b) todo jogador que por qualquer razão retarde deliberadamente um tiro livre de seus adversários será advertido (cartão amarelo) e em caso de reincidência será expulso (cartão vermelho);
c) deverá ser advertido todo jogador que saia prematuramente da barreira defensiva, formada a uma distância mínima de 9,15 m da bola, antes que essa seja tocada com o pe’. Em caso de reincidência, será expulso.
A regra determina que todos os jogadores adversários deverão retirar-se a uma distância mínima de 9,15 m da bola, mas o árbitro pode fazer valer seu critério quanto a essa determinação, e permitir que o tiro seja efetuado de imediato.

10 – PENALTI (TIRO PENAL):

a) Conduta durante a execução de um tiro penal:
Quando se executa um penal, o goleiro deve permanecer na linha da meta sem mover os pés. Com exceção do goleiro e do jogador que vai fazer a cobrança, todos os demais jogadores devem ficar fora da área penal, atrás da marca penal, a pelos menos 9,15 m da ponta de cobrança, até que tenha sido executado o tiro penal. Toda infração contra essas determinações será tratada segundo a Regra XIV.
b) Cobrança de pênalti (tiro penal) ao final do primeiro tempo ou ao final da partida;
Se for prolongado o tempo ao final da primeira etapa ou ao final do jogo, para permitir a cobrança ou a repetição de um tiro penal, o gol não será anulado se a bola, antes de entrar na meta tocar uma das traves, o travessão e ou o goleiro, desde que não tenha cometido outra infração.

11 – JOGADOR EM POSIÇÃO FORA DE JOGO (IMPEDIMENTO):

Um jogador que está em posição de impedimento deverá ser punido somente:
a) quando interfere na jogada de qualquer maneira;
b) quando trata de obter uma vantagem desta posição irregular.

12 – GOLEIROS:

Serão aplicados os seguintes princípios: Todo jogador que, sendo goleiro e estando dentro da área penal:
a) no momento em que controla a bola com suas mãos dá mais de quatro passos em qualquer direção, retendo-a, colocando-a no chão ou lançando-a ao ar e tornando a agarra-la sem devolve-la ao jogo, ou depois de tê-la posto em jogo, antes, durante ou depois de quatro passos, torna a toca-la com as mãos antes que um jogador de sua equipe a toque ou jogue-a fora da área penal (condições predominantes da Regra XII 5 c) ou
b) utiliza táticas que só tem por objetivo retardar o jogo e, portanto, desperdiçar tempo, criando vantagem desleal para sua equipe, será punido com um tiro livre indireto concedido à equipe adversária no lugar onde foi cometida a falta. Além disso, deve-se atentar para o conteúdo da Regra XII decisão 15 da Junta Internacional de Futebol Associativo (BOARD).

13 – INFRAÇÕES REINCIDENTES:

Todo jogador que insista em infringir as regras de jogo deverá ser advertido com cartão amarelo ou vermelho.

14 – JOGADOR EXPULSO POR TER RECEBIDO DUAS ADVERTÊNCIAS:

Quando um jogador é expulso depois de ter sido advertido pela segunda vez numa partida, o árbitro deverá mostrar primeiro o cartão amarelo e logo em seguida o cartão vermelho (para deixar claro que o jogador estás sendo expulso depois de haver sido advertido pela segunda vez e não por uma infração que exija uma expulsão imediata).

15 – SUBSTITUIÇÕES:

Um jogador que vai ser substituído não poderá abandonar um campo de jogo sem permissão do árbitro e quando a bola esteja em jogo. O jogador substituto poderá entrar em campo unicamente na altura da linha central.

16 – JOGADOR FERIDO:

Com exceção do goleiro, nenhum jogador ferido poderá ser atendido no campo. Tal jogador deverá ser tirado em maca, para ser assistido fora de campo. Em caso de ferimento de um jogador, o árbitro deverá autorizar a entrada em campo simultâneo de apenas dois oficiais da equipe e dois carregadores de macas. É permitida a entrada em campo dos dois oficiais apenas para que possam avaliar a gravidade do ferimento, mas não trata-la, e mesmo assim para providenciar a retirada do jogador.

17 – ATITUDE PERANTE OS ÁRBITROS:

Todo jogador que protestar contra uma decisão do árbitro será advertido.
Todo jogador que agredir ou insultar um árbitro será expulso. Ainda que o capitão da equipe seja responsável pela conduta do mesmo, não terá direitos especiais.

18 – ARREMESSO LATERAL:

O arremesso lateral não deverá ser executado a uma distância de mais de um metro da linha lateral. Não se permite a um jogador colocar-se diante de quem faz o arremesso lateral com a intenção de atrapalha-lo.

19 – PERDA DE TEMPO:

Todo jogador que perde tempo deve ser advertido.
Existe perda de tempo quando:
a) Quando um jogador:
– Finge que está contundido;
– Bate um tiro livre a partir de uma posição incorreta, com a intenção única de que o árbitro ordene a sua repetição;
– Faça o mesmo com um arremesso lateral;
– Finge ser ele quem vai fazer o arremesso lateral, mas sem motivo lógico deixa que outro companheiro o execute;
– Chuta a bola para longe ou pega-a com as mãos, depois que o árbitro faz uma interrupção do jogo por uma razão qualquer;
– Coloca-se em frente à bola durante a execução de um tiro livre concedido ao adversário, para permitir a sua equipe organizar a barreira defensiva;
– Demora demais para executar um arremesso lateral ou tiro livre;
– ao ser substituído, demora a sair do campo.

b) Quando um goleiro:
– Utiliza manobras de todo o tipo para permitir que a sua equipe ganhe tempo (guarda a bola mais tempo do que o necessário, demora a colocar a bola em jogo, etc.).

20 – CELEBRAÇÃO DO GOL:

Depois de marcado um gol, é permitido ao autor do tento compartilhar sua alegria com os companheiros de equipe. Contudo o árbitro não deve permitir que os jogadores permaneçam demasiado tempo no campo adversário. Também na deve permitir que os jogadores passem além dos painéis publicitários ou dos espectadores. Nesses dois últimos casos o jogador infrator deverá receber advertência por conduta antidesportiva.

21 – INGESTÃO DE LÍQUIDOS DURANTE A PARTIDA:

Os jogadores estão autorizados a tomar água durante o jogo, mas para isso deverão dirigir-se à linha lateral. É proibido o lançamento de bolsas de plástico ou de outros recipientes cheios de água ao campo.

22 – INSPEÇÃO DAS CHUTEIRAS:

O árbitro, com a ajuda dos assistentes de linha, deverá inspecionar as chuteiras dos jogadores, no corredor que liga os vestiários imediatamente ao campo.

23 – UNIFORME DOS JOGADORES:

a) O árbitro deve verificar se os jogadores estão convenientemente uniformizados, de acordo com as disposições da Regra IV. Os jogadores devem ter a camisa dentro do calção e não devem estar com as meias caídas. O árbitro deve zelar também para que todos estejam com caneleiras. Por último, cuidará para que jogadores não portem nada que possa ferir um adversário (relógio, pulseiras metálicas, etc.)

b) É permitido levar roupa interna visível, como os shorts térmicos. Esses devem, contudo, ser da mesma cor que os calções da equipe dos jogadores que os levam e não devem ser mais compridos que até os joelhos. Se uma equipe usa shorts multicores a roupa interna visível deverá ser na cor predominante dos calções.

24 – AGRESSÕES INTENCIONAIS:

O BOARD manifestou uma grande preocupação pela tendência que se constata cada vez mais com frequência entre os jogadores, que ao disputar a bola contra um ou vários adversários, utilizam intencionalmente tanto os braços como os cotovelos. Portanto, os árbitros deverão tomar medidas mais severas contra os infratores, aplicando as sanções que a Regra XII põe a sua disposição.

25 – ATAQUES POR DETRÁS:

O BOARD discutiu o aumento do número de incidentes em que se produz ataques por detrás com pouca ou nenhuma intenção de jogar na bola, assim mesmo, se insistiu no fato de que as atuais Regras do Jogo proíbe semelhantes ações e as condenam como jogo brusco grave. Tais ataques violentos e inaceitáveis podem produzir lesões graves. Os árbitros deverão aplicar as sanções estipuladas na Regra XII e expulsar o jogador que houver cometido esse tipo de infração.